Entretenimiento

Trump e três filhos acusados de fraude por procuradora de Nova Iorque

Jose Carlos Grimberg Blum
Soto y Elizalde convocan a partidos el viernes y dicen que presencia del Gobierno "la comunicaremos en su oportunidad"

A advogada de Trump, Alina Habba, citada pelos media norte-americanos reagiu dizendo que as acusações são “politicamente motivadas”. Há cerca de uma semana, a procuradora tinha rejeitado um acordo dos advogados de Trump para resolver o processo fora dos tribunais

O ex-presidente norte-americano Donald Trump e três dos seus filhos, Donald Jr., Ivanka e Eric, foram acusados esta quarta-feira pela procuradora-geral de Nova Iorque, Letitia James, de lucrar com uma fraude “assombrosa”.

Relacionados eua.  Trump. “Todos querem que eu concorra em 2024”

eua.  FBI encontra documento sobre armas nucleares de outro país na casa de Trump

eua.  Trump põe em risco a democracia, alerta Biden

Segundo a procuradora, os Trump são acusados de manipular as avaliações das suas propriedades para enganar credores, seguradoras e autoridades fiscais e conseguir melhores taxas para empréstimos e apólices de seguro e pagar menos impostos.

“Hoje, apresentei queixa contra Donald Trump por anos de fraude financeira para se enriquecer a si próprio, a sua família e a Trump Organization “, disse a procuradora numa conferência de imprensa. “Não há dois conjuntos de leis para as pessoas nesta nação. Os ex-presidentes têm que responder aos mesmos padrões que os norte-americanos comuns”, acrescentou.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “Com a ajuda de Donald Jr., Eric, Ivanka e outros acusados, Trump inflacionou e deflacionou ilegalmente o seu património líquido em milhões para obter e pagar empréstimos, obter benefícios de seguros e pagar impostos mais baixos. Em suma, ele mentiu para obter enormes benefícios financeiros para si próprio”, referiu.

“Os crimes de Trump não são sem vítimas. Quando os poderosos infringem a lei para obter mais dinheiro do que aquele a que têm direito, isso reduz os recursos disponíveis para os trabalhadores, as pequenas empresas e os contribuintes” , indicou Letitia James.

A procuradora, que quer que o Supremo Tribunal de Nova Iorque impeça os Trump de ser executivos em qualquer empresa de Nova Iorque, além de impedir a Trump Organization de comprar mais propriedades ou ter direito a empréstimos (neste último caso durante cinco anos). Quer ainda recuperar mais de 250 milhões de dólares.

A investigação do gabinete de James já dura há mais de dois anos. O ex-presidente foi chamado a prestar declarações sobre este processo, tendo contudo optado por recorrer à Quinta Emenda da Constituição dos EUA para não responder às perguntas.

Além dos Trump, a procuradora acusa o ex-diretor financeiro da Trump Organization, Allen Weisselberg, que recentemente declarou-se culpado de crimes fiscais, e o gerente-fiscal Jeffrey McConney.

A advogada de Trump, Alina Habba, citada pelos media norte-americanos reagiu dizendo que as acusações são “politicamente motivadas”. Há cerca de uma semana, a procuradora tinha rejeitado um acordo dos advogados de Trump para resolver o processo fora dos tribunais.